Arquivo mensal: maio de 2015

Silvia Ferraresi e Ana Elisa Machado falam de inclusão e do direito de brincar

Silvia Ferraresi Ana Elisa ChavesPara a fisioterapeuta Silvia Ferraresi e a fonoaudióloga Ana Elisa Machado toda a criança tem o direito de brincar! Elas conversaram com o Tempo de Creche sobre inclusão e Tecnologia Assistiva, que é a utilização de recursos – simples ou sofisticados – para melhorar as funções das pessoas com deficiência.

TEMPO DE CRECHE – O que precisa nortear a atuação de um professor preocupado com a inclusão?

Um professor preocupado com a inclusão precisa ter empatia e comprometimento com a criança. Ele precisa conhecer a dificuldade que a criança tem, para poder pensar em maneiras de contornar essa dificuldade e proporcionar o aprendizado. Ele precisa saber que cada aluno é diferente e aprende de formas diferentes, mas que isso não impossibilita que a turma seja um grupo. O professor precisa ser o mediador entre a criança deficiente e as outras crianças da sala, até que a criança deficiente seja incluída socialmente no grupo. O professor não precisa, necessariamente, saber detalhes de uma determinada patologia, mas deve estar aberto para conhecer algo novo, flexível para modificar suas estratégias de ensino quando necessário e disponível para utilizar meios alternativos de comunicação, tecnologia assistiva e técnicas de manuseio. Continue lendo..

Postado em Brincar e Aprender, Palavra de... especialista, Postura do Professor | Tags , , , , , | Clique para deixar um comentário!

Natureza, riscos e brincadeiras numa discussão que dá o que pensar

Educadores falam sobre a liberdade das brincadeiras, a importância dos ambientes naturais na infância e os riscos que devemos permitir às crianças durante o brincar. Propomos acender uma discussão! Fizemos uma pesquisa e reunimos o que temos ouvido nos últimos meses em seminários e mostras.

brincadeiras arriscadas de criança

Segundo Andrew Swan, estudioso do brincar, hoje as crianças são vistas como porcelanas, avessas a riscos. Consequentemente, as oportunidades REAIS de brincar quase não se apresentam mais. As ruas foram abolidas dos espaços da brincadeira infantil e os parquinhos estão cada vez menores ou desaparecendo. A minimização dos riscos levou a criança a espaços estéreis, artificiais e monótonos.

Essa situação despertou num grupo cada vez maior de pesquisadores e defensores de uma infância saudável, a criação de um conceito: a SÍNDROME DO DÉFICIT DE NATUREZA

A falta do convívio com ambientes naturais e seus desafios levou esse grupo ao seguinte questionamento: Continue lendo..

Postado em Criança e Natureza | Tags , , , | 4 Comentários

Território do Brincar – num filme de brincadeiras, dicas para brincar com os olhos e o coração!

Filme Território do BrincarNa abertura da mostra de cinema com foco na infância, Ciranda de Filmes 2015, pudemos conhecer o Território do Brincar de Renata Meirelles e David Reeks. Uma poesia cinematográfica que atiça os diversos sentidos dos entusiastas da infância. Com fotografia precisa e encantadora, os olhos se enchem de beleza. A edição sensível conversa com a nossa memória e a trilha sonora sedutora do Grupo Uakti embala uma viagem para outros mundos e para o nosso próprio.

O filme vale ser visto e discutido em encontros de educadores e numa conversa de colegas no final de semana.

Entre as dezenas de brincadeiras mostradas pelas crianças filmadas por todo o Brasil, pudemos destacar três adequadas e desafiadoras para o universo da Educação Infantil. Continue lendo..

Postado em Ampliação Cultural, Brincar e Aprender, Planejamentos e Atividades | Tags , , , | Clique para deixar um comentário!

Therezita Pagani e a criança na pesquisa manual, corporal e sensorial.

No filme Semente do Nosso Quintal, de Fernanda Heinz Figueiredo e no livro De volta ao Quintal Mágico, da jornalista Dulcilia Buitoni, fica muito claro toda a preocupação da educadora Therezita Pagani com a liberdade do brincar da criança.  Tempo de Creche conversou com Therezita durante o Ciranda de Filmes 2015.

Tempo de Creche – Quando apresentamos seu trabalho durante as formações, marca muito as educadoras a questão da liberdade e da autonomia que as crianças da Te-Arte tem ao escolher as brincadeiras, os materiais, conviver com as diferentes idades e a estrutura de não amarrar as crianças em turmas. Você pode falar sobre essa crença?

TherezitaTheresita – Eu acredito neste simples.

Toda a criança não nasce sozinha. Ela nasce em uma família, que pode ser lúdica, pode não ser lúdica, mas ela tem como essência a necessidade de pesquisa manual, corporal e sensorial o tempo inteiro.

Continue lendo..

Postado em Campos de Experiências, Palavra da prática | Tags , , , , , , | Clique para deixar um comentário!

Reuniões, Paradas Pedagógicas, Encontros: tem jeito de ser agradável e produtivo? – PARTE 2

Na primeira parte desta postagem (Reuniões, Paradas Pedagógicas, Encontros: tem jeito de ser agradável e produtivo? – PARTE 1) abordamos o levantamento do conteúdo a ser levado para as reuniões e encontros. Agora a proposta é pensar sobre como fazer estes encontros acontecerem: como caber tanto assunto nas horas disponíveis? Como dar conta da organização? Como valorizar e incentivar a participação e o engajamento de todos?

Reuniões Encontros Paradas Aquecimento Nossa experiência como formadoras, que mergulham na realização de workshops formativos, pode contribuir com algumas dicas. Continue lendo..

Postado em Coordenador e Gestor | Tags , , | Clique para deixar um comentário!

Reuniões, Paradas Pedagógicas, Encontros: tem jeito de ser agradável e produtivo? – PARTE 1

Reuniões Encontros Paradas

Alguns coordenadores e diretores têm pesadelo quando estes encontros se aproximam! Tudo é questão de preocupação porque, com uma rotina que não prevê e viabiliza reuniões frequentes entre a equipe pedagógica, aproveitar estes raros momentos traz uma obrigação de estimular boas discussões sobre todos os assuntos e ainda acertar o passo da equipe para o próximo período.

É muita pressão! Especialmente porque planejaremos e coordenaremos um encontro entre… pessoas! Pessoas que querem conversar, que querem saber, que querem discutir, argumentar, mostrar, prestar contas, apontar discordâncias, brincar, tomar café, falar sobre filhos, maridos, namorados, a compra no shopping … enfim, uma reunião normal de pessoas que convivem e que tem diante de si um dia mais tranquilo, sem as crianças e com perspectivas de também buscar conteúdos e acertos de rota.

Expectativas daqui e dali, o coordenador tem responsabilidade de pensar sobre os anseios de todas as partes, levantar as questões que precisam ser abordadas, planejar, organizar e conduzir os trabalhos desse dia. Como fazer TUDO isso, de forma acertada?

Que tal continuar com reflexões e seguir um roteiro para encaminhamentos? Continue lendo..

Postado em Coordenador e Gestor | Tags , , | 2 Comentários

Patrícia Durães fala da importância do cinema na formação

A diretora do Grupo Espaço de Cinema e uma das curadoras do Ciranda de Filmes, Patrícia Durães reconhece nos filmes  uma experiência que sensibiliza, mobiliza e transforma. Em seu convívio com educadores tem a certeza de que a proposta de um mergulho cultural através do cinema é de uma força e riqueza infinita.  Patrícia contou um pouco desta experiência para o Tempo de Creche.

patriciaTempo de Creche – Qual a importância do cinema para a vida do professor?

Patrícia – A experiência cinematográfica provoca o pensar e desenvolve uma competência para ver e ler o mundo. O cinema é uma expressão artística e como arte, encanta, sensibiliza, mobiliza e  transforma. O filme por si só lança o espectador dentro de realidades complexas, dramáticas, poéticas e o faz retornar modificado, com um novo olhar para a sua própria realidade. A arte, o lúdico e o conhecimento estão sempre juntos, é aí que está a força na relação cinema e educação.

Continue lendo..

Postado em Ampliação Cultural, Palavra de... especialista | Tags , , , | 2 Comentários

Socorro: minha turma é difícil!

Frato Creche não é um cabideiroNossa crianças são brincantes, alegres, energéticas, corporais, cheias de iniciativas e exploradoras do mundo que as cerca! Mas, às vezes olhamos para a nossa turma e pensamos: acho que fomos sorteados! Que turma difícil!

Enxergamos uma reunião de diversos perfis: o hiperativo, com o endiabrado, com o líder, com a esperta, com o agressivo, tudo num filme que poderia se chamar “Os Sem-limite”!

Você já se sentiu assim?

Com essa reunião de personalidades marcantes, o dia a dia fica denso, cansativo, imprevisível e dá uma sensação de que não conseguimos produzir nada com a turma. Continue lendo..

Postado em Desenvolvimento Infantil, Postura do Professor | Tags , , | 7 Comentários

O universo infantil em filmes

Acontece entre os dias 21 e 24 de maio, em São Paulo, a 2ª edição do Ciranda de Filmes. Além de exibir gratuitamente produções cinematográficas do universo infantil, nacionais e estrangeiras, o evento patrocinado pelo Instituto Península e pelo Instituto Alana, promoverá rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas cinematográficas, em um espaço de troca de conhecimento e aprendizado coletivo que tem como ponto de partida a linguagem do cinema. Toda a programação desse ano tem três temas como fio condutor: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

Filmes

Para a edição 2015, entre os 50 filmes selecionados, estão:

Ciranda de filme 1

Neste ano, a Ciranda irá homenagear alguns mestres brasileiros fundamentais para o enriquecimento cultural do país que faleceram em 2014, apresentando: Continue lendo..

Postado em Acontece, Ampliação Cultural | Tags , , , , , | Clique para deixar um comentário!

Apareceu lagartixa na creche? Que tal transformar o fato no “Projeto Lagartixa”?

As lagartixas são animais da família dos jacarés (répteis) e se parecem com eles, em tamanho bem reduzido. Podemos encontrá-las nas florestas e dentro das casas. Quando isso acontece, pode ser uma sensação entre a garotada! Se surgiram na creche ou na roda de conversa, o tema pode se transforma em “Projeto Lagartixa” e ampliar a pesquisa.

imagens Lagartixas domésticas

As lagartixas das casas vieram da África, da terra dos leões e elefantes, e moram aqui no Brasil há centenas de anos. Elas se alimentam de mosquitos (inclusive dos pernilongos e dos mosquitos da dengue!), mariposas, baratas, formigas e até de aranhas venenosas. Elas passam o dia paradinhas, só esperando os bichinhos que vão comer chegarem perto. Quando eles estão distraídos, elas avançam lentamente e dão uma rápida mordida! Continue lendo..

Postado em Planejamentos e Atividades | Tags , , , | Clique para deixar um comentário!