Vamos conhecer e brincar com a música indígena brasileira?

As pesquisadoras e musicistas, Magda Pucci e Berenice de Almeida, fizeram uma expedição sonora em oito comunidades indígenas brasileiras. No livro A Floresta Canta! – Uma expedição sonora por terras indígenas do Brasil publicado pela Editora Peirópolis, elas contam a partir dos registros em seus diários, as tradições culturais destas comunidades e a linguagem utilizada para transformar elementos da natureza música.

instrumento 3Muitas dos hábitos, palavra e alimentos que hoje fazem parte do dia a dia de todos nós tem sua origem nas culturas indígenas.

  • Por que tomamos banho diariamente? Os portugueses quando chegaram ao Brasil não tinham o habito do banho diário, os indígenas tinham. 
  • Por que gostamos de nos deitar em redes? Podem imaginar?
  • O que quer dizer carioca? 
Cari = dos carijós, homem branco
Oca = casa, morada
Cari + Oca = Carioca

No livro tem outras palavras, nomes de alimentos, locais e hábitos que tem sua origem nas raízes indígenas.

Onde tem canto, tem história.

As histórias indígenas, cantadas e contadas, são, na maioria das vezes, explicações da origem do mundo, a criação do homem, o surgimento dos animais na Terra com o jeito próprio dos indígenas verem o mundo.

É comum nas histórias contadas para as crianças as canções que trazem as falas dos animais ou de seres da floresta. Em uma aldeia, quem conta a história é o pajé ou o seu líder. Ele conta e vai imitando o que a história relata como o ruído do trovão, do vento ou da água no riacho.

E as músicas?

Magda e Berenice contam que nas aldeias a música é transmitida de forma oral, de geração em geração. Os cantos têm muitos sons anasalados e, em geral, se relacionam com os elementos da natureza e seres da floresta. No mundo indígena, a música está ligada aos momentos especiais. Eles cantam e dançam tanto para brincar, caçar, pescar e construir suas casas, quanto para celebrar seus rituais.

Balão Para Saber MaisNo site da Editora Peirópolis estão disponíveis as músicas indicadas no livro. Abaixo de cada gravação estão as letras das músicas e uma sugestão de pronuncia.

Escute http://www.editorapeiropolis.com.br/2014/04/24/a-floresta-canta-musicas/

Você também sabe imitar sons da natureza?

Esta é uma pergunta que as autoras fazem.

intrumentos

Muitos instrumentos de produção muito simples trazem os sons da floresta para a brincadeira.

Nas aldeias há vários tipos de sopros, entre eles, as flautas. Os instrumentos de sopro costumam ser feitos com bambu, madeira, cabaças, ossos de animais, rabos de tatu e hoje em dia até de canos de PVC.

intrumentos 1Os indígenas gostam de usar chocalhos em diversas partes do corpo: tornozelos, braços, pescoço, cintura, …. e os confeccionam com vários materiais, como sementes, pequenos cascos de animais, coquinhos, o que puder gerar som. Ficam amarrados em uma fita tramada por eles.

balc3a3o-dicaOs chocalhos podem ser confeccionados com uma fita ou cordão onde são presas sementes ou grãos aos quais a creche tenha acesso. Fure a semente ou grão e passe um fio para prendê-las na fita ou no cordões, similar ao exemplo nas fotos.

A maraca é o principal instrumento de percussão indígena.

A maraca é um instrumento também fácil de ser construído e pode ser feito com a ajuda das crianças.

A Folhinha (Folha de São Paulo), em 2012, ensinou o passo a passo para fazer uma maraca ecológica. A dica foi de Luthier e do Afonsinho Menino, do grupo Ylu Brazil.

`Passo a Passo 1

  • Passo 1: reúna o material que será usado garrafinha pet, cabo de vassoura cortado em pequenos pedaços, sementes, grãos e pedrinhas, lixa, tesoura, fita adesiva colorida e cone de papel.
  • Passo 2: com um cone, coloque as sementes, grãos e pedrinhas até cobrir o fundo na garrafinha.
  • Passo 3: lixe o cabo de vassoura para evitar ferir a mão.

`Passo a Passo 2

  • Passo 4: encaixe o cabo de vassoura na garrafinha.
  • Passo 5: com a fita adesiva fixe o cabo na garrafa.
  • Passo 6: enfeite a maraca com fitas adesivas coloridas.

`Passo a Passo 3

Mais informações:  http://ylubrazil.blogspot.com.br/2012/01/ylu-brazil-ensina-fazer-maraca.html

No youtube a arte educadora Jussara Belloni também ensina umo passo a passo para construir uma maraca a partir de garrafa pet pequena. https://www.youtube.com/watch?v=z-AoQRa4UI0

Na prática

Busque músicas, imagens e histórias de índios e apresente esse universo para as crianças.

Converse, levante as impressões da turma e proponha uma “brincadeira de índio” com os objetos sonoros construídos.

Cante a musica indígena ou coloque uma gravação se você tiver disponível e convide as crianças para tocarem junto.

Como ampliação dessa brincadeira, você pode amarrar cada chocalho numa perna, braço ou cintura das crianças e propor uma dança que “balance” os objetos para que se produzam os sons.

Balão Para Saber MaisPara brincadeiras de pinturas corporais inspiradas nas culturas indígenas, leia Brincando com as culturas indígenasDatas comemorativas: muito além da festa!Tânia Fulkemann Landau  fala da importância das festas comemorativas na educação da criançaAna Helena fala sobre  datas comemorativas na creche  

 

barrinha colorida fininha

Comunidades indígenas visitadas por Magda Pucci e Berenice Almeida

  • Yudjá em tupi significa “donos do rio”, mas também são conhecidos como Juruna ou homem da boca preta. Mato Grosso/ Parque Indígena do Xingu.
  • A’Uwé-Xavante – A’uwé significa gente. São mais conhecidos como Xavante. Mato Grosso/ Parque Indígena do Xingu.
  • Paiter-Suruí – são conhecidos como um povo cantor e contador de história. Rondônia.
  • Ikolen-Gavião – são conhecidos pelos instrumentos de sopro. Rondônia.
  • Kambeba – reza a lenda que o povo Kambeba teve sua origem em uma gota d’água que se dividiu em duas partículas e originou o homem e a mulher. Por essa razão, eles vivem sempre entre rios Amazonas.
  • Krenak – também gostam de ser chamados de Borum, Palavra que significa “gente” e dá nome a língua que eles falam. Minas Gerais.
  • Mbyá-Guarani – eles acreditam que as crianças tem um canal diretor com os espíritos. São Paulo.
  • Kaingang – para eles tudo na natureza tem dois lados  opostos que se complementam, chamados de Kamé e Kairu. O sol é kamé e a lua Kairu. Rio Grande do Sul.

barrinha colorida fininha

Autoras

Berenice AlmeidaBerenice Almeida – Educadora musical e pianista, formada pela ECA –USP, mestranda em Educação Musical. Entre os livros publicados, destacamos Música para crianças: possibilidades para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental da Coleção Como eu ensino, Melhoramentos; livros do professor Coleção Brincadeiras Musicais da Palavra Cantada, Melhoramentos.

Magda Pucci

 

 Magda Pucci – Regente, formada pela ECA-USP, mestre em Antropologia, PUC-SP, arranjadora, compositora e cantora, além de pesquisadora da música de vários povos. Dotoranda em Creative Arts pela Universidade de Leiden, Holanda. Dirige e produz o grupo MAWACA desde sua formação em 1993.

Postado em Ampliação Cultural, Planejamentos e Atividades e tags , , , , , . Marcado com permalink.

9 Comentários para Vamos conhecer e brincar com a música indígena brasileira?

  1. Patrícia diz:

    Olá Boa noite. Estou trabalhando musicalização com criança com faixa estaria 3 anos… gostarias de receber mais atividades relacionadas a musicalização para trabalhar com os pequenos.

    • Olá, Patrícia.
      Este trabalho é bem importante para os pequenos. Na página do blog há uma indicação de uma lista de postagens por temas que podem ajudar na escolha do que pesquisar e ler. Algumas postagens sobre musicalização são: – Brincadeiras com os sons: musicalização para os pequenos; – Música, brincadeira e desenvolvimento e Musicalização no dia a dia de bebês e crianças. Abraço.

  2. Patrícia diz:

    Gostaria de receber em meu e-mail

  3. Patrícia diz:

    Amei essa matéria sobre os indigenas

  4. SANDRA HELENA DE LANA LEITE SANTOS diz:

    GOSTARIA DE RECEBER DICAS SOBRE CURIOSIDADES (HÁBITOS ESTRANHOS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL.)

    • Sandra,
      Obrigada pelo seu retorno. Você poderia esclarecer melhor seu interesse? O que quis dizer com hábitos estranhos para a educação infantil?
      Conte, também, qual a idade das crianças e em quais assuntos estão interessadas. Abraço!

  5. Sheila Cárita de Oliveira Silva diz:

    Muito interessante o artigo sobre o dia do Índio, tudo muito aplicável no cotidiano da Creche!!! Muito obrigada por compartilhar essas ideias!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *