Letramento no dia a dia: gradual, lúdico e significativo

Balão-Dúvida-pComo pensar o letramento e a alfabetização na Educação Infantil? Quais atividades são prioritárias para o pleno desenvolvimento das crianças?

cartaz salas uniepreRudolf Steiner, um filósofo e educador austríaco do início do século XX, defende que crianças até os sete anos tem que brincar. E ponto! E esta é a responsabilidade da escola.
O exercício das linguagens do corpo, que acontecem durante as atividades físicas, desenvolvem as habilidades motoras e estimulam o sentimento da autoconfiança. Essas capacidades são acompanhadas pelo desenvolvimento neurológico e sensorial que vão garantir o domínio corporal, a linguagem oral e o desenvolvimento da inteligência. Para Steiner, a educação da primeira infância voltada para o brincar conquista mais resultados futuros do que aprender a ler o nome!
Também Vigotski, na mesma época, seguiu nessa linha. O aprendizado da escrita é gradual e deve ser iniciado na primeira infância por meio do fazer simbólico das atividades dessa faixa etária. Para o psicólogo bielorrusso, atividades mecânicas de leitura e escrita atrapalham o amadurecimento porque forçam etapas do desenvolvimento. Por outro lado, a brincadeira garante os pilares para a construção significativa da linguagem.
Então GRADUAL, LÚDICA e SIGNIFICATIVA parecem ser as chaves para pensar os conteúdos que contribuem com o amadurecimento neuropsíquico da criança, que a levará a dominar o sistema de símbolos da leitura e escrita na alfabetização.


E a ESCOLARIZAÇÃO ANTECIPADA induz o professor a dedicar tempo e energia em conteúdos que não são adequados à primeira infância.
Apresentar situações reais e repletas de significados, em que a escrita é um recurso pode estimular a percepção sobre a língua escrita e despertar interesse nos pequenos. E isso é trabalhar o letramento! As práticas comunicativas que ocorrem nas atividades sociais do dia a dia são o campo de pesquisa e interesse dos pequenos. Assim, a escrita e a leitura não formais tem sentido e fazem parte da vida deles.

Balão-na-PráticaComo é isso na prática?

Cartazes são significativos quando construídos com conteúdos da vivência em textos e imagens, fixados na sala e utilizados durante a rotina.
Ao introduzir uma atividade de cozinha, fazer biscoitos, que tal planejar uma conversa com as crianças e registrar, com texto e ilustrações, os ingredientes, suas quantidades e o modo de preparo? O que acha de, depois da receita realizada, acrescentar as fotos das crianças durante o preparo e a degustação dos biscoitos prontos?

cartaz registro de receita educação Infantil
UNIEPRE logoNas unidades da UNIEPRE, os cartazes da Roda de Chamada fazem da “lista de presença” uma brincadeira desafiadora. Diariamente, seja por meio de fotos das crianças ou desenhos executados por elas, essas representações são utilizadas pelos pequenos que atestam seu comparecimento no dia colocando o símbolo no cartaz. Os símbolos são sempre acompanhados do nome escrito em letra bastão.

cartazes das  salas uniepre
Para os maiores, as professoras utilizam o cartaz do Ajudante do Dia, com a foto e o nome da criança selecionada.
abecedário com imagens UniepreOutro recurso que aparece nas paredes, são as letras alfabeto plastificadas e “ilustradas” ao longo do ano. Conforme as crianças vão reconhecendo e associando os sons das letras iniciais às palavras, a professora faz uma pesquisa com os pequenos e cola o objeto e a palavra no cartaz da letra. As palavras podem ir mudando conforme o desejo e as descobertas das crianças. Nas salas dos menores, 3 anos, objetos reais são colados nos cartazes das letras sempre que possível. Nas salas acima de 4 anos, os pequenos pesquisam imagens em revistas, recortam e as colam nas letras.

abecedário com objetos Uniepre
Em outra situação, as professoras Maria Élia, Magda e Valéria da unidade de Itapevi trabalharam o projeto Era uma Casa com a turma de 3 anos, comparando as casas dos contos mais famosos: Três porquinhos, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel, João e o Pé de Feijão, Branca de Neve e outros.

casas dos contos de fadas

As histórias eram narradas e as ilustrações dos livros recebiam um olhar apurado, com a mediação das educadoras, para provocar o levantamento dos detalhes das moradias. Depois do mergulho nas histórias e nos livros, construíram um cartaz para registro comparativo, em texto e ilustração, das características das construções. No cartaz a professora organizou em 4 colunas o nome dos contos, a imagem das casas, as características levantadas e os personagens que as habitam. Fez uma roda de conversa e foi registrando, em letra bastão, as informações colocadas pelas crianças.

Projeto Era uma Casa Uniepre

Para que escrever no cartaz se os pequenos não leem?

Os pequenos leem sim, mas não da mesma forma que os alfabetizados! Porque percebem que existem símbolos naquela produção que traduzem pensamentos e informações. As imagens selecionadas contam com o reconhecimento imediato das crianças, que àquela altura já dominam as historias e suas ilustrações. A associação destas imagens com os textos da professora garantem a memória do que foi construído com significado. A percepção do “desenho” das letras marca e desperta para uma jornada GRADUAL e LÚDICA em direção ao letramento e, finalmente, à alfabetização.

barrinha-colorida-300x17

Balão-Para-Saber-MaisPara aprofundar o tema, leia as postagens:

Letramento e Alfabetização: qual o caminho para a Educação Infantil?
Conhecer outras experiências para se reconhecer e crescer!
A importância do brincar
Escolher os livros: um momento de prazer

 

Postado em Campos de Experiências, Postura do Professor e tags , , , , , , . Marcado com permalink.

Comentários para Letramento no dia a dia: gradual, lúdico e significativo

  1. Agradecemos o comentário no face de Danielle Silva, indicando a experiência que tem com o momento da chamada e os resultados observados. E compartilhamos o que ela nos diz:
    Como eles mencionam, o momento da chamada é muito rico mesmo quando explorado de forma diferenciada a cada dia. Depois que passei a trabalhar dessa forma diversificada já vi muita evolução no reconhecimento das letras e na sonoridade além de tornar o momento muito divertido.
    Danielle, sinta-se convidada a enviar sua experiência com os pequenos. Sabemos que você também tem algo valioso para compartilhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *