Experiências duram para sempre, já a “sujeira”…

Qual a sua opinião?

pROVOCAÇÕES EXPERIÊNCIAS

A “sujeira” das crianças é o resultado dos processos de pesquisa e descoberta para a qual torcemos o nariz.

Mas a criança mergulha na investigação sem se preocupar com este mero “detalhe”, porque o que está em jogo é aprender sobre o mundo que a cerca.

Se o papel do professor é favorecer as experiências de aprendizagem, talvez seja preciso repensar o que é sujeira na infância.

 

Postado em Imagens e tags , , , . Marcado com permalink.

6 Comentários para Experiências duram para sempre, já a “sujeira”…

  1. Jaqueline de Oliveira Mascarenhas diz:

    Dialogar …dialogar …refletir…refletir sobre o motivo pelas coisas serem como são…
    Proponho o movimento para que possamos evoluir para mais próximo de nossas
    crianças,.considerar seu interesse e vontades, entender que ela deve ser o centro de todas as ações.
    Professores vamos nos movimentar, contagiar, alimentar um ao outro.Este espaço que o “tempo de creche” oferece é maravilhoso para efetivar tudo isso. Enquanto gestora de um espaço de educação e outras amigas com o mesmo pensamento, procuramos alimentar nosso grupo com aquilo que tem de mais sustentável, trocar experiências com aqueles que nos preenchem a alma e inspiram para fazer melhor. Totalmente independentes propomos com grandes pesquisadores da infância seminários, formações…precisamos fazer a nossa parte para contribuir com o diálogo, reflexão e o movimento…Parabéns equipe “tempo de creche” muitos movimentos acontecem e continuarão acontecendo por conta de vocês . Obrigada por me alimentar de esperança e vontade de fazer diferente e melhor para nossas crianças.

  2. Patrícia diz:

    Muito bom

  3. Raphaela Bergamo diz:

    Quando conseguimos descolar a educação infantil da ideia de assistencialismo e perceber que nosso trabalho é profissional que o cuidar não é de manter limpos e impecáveis, tudo fica mais claro. Na unidade de educação infantil de 0 a 3 onde atuo na equipe gestora já tivemos muitos avanços, mas ainda temos muito o que desconstruir e descolonizar. Agradeço esse blog que tanto tem contribuído para fomentar as discussões e reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *