Rotina é recurso de aprendizagem?

A Rotina é o dia a dia da creche.
Muitas das atividades têm que ocorrer todos os dias.
Podemos ensinar e aprender com elas? Podemos desenvolvê-las com significados diferentes?

rotina 2

Sabemos que a natureza funciona de forma organizada, conectada e com ritmo. As crianças, como organismos vívidos e criativos, estão mergulhadas nesse sistema e se desenvolvem respeitando sua organização.

 Mas esse sistema natural significa repetição?

Sim e Não!

saida da crecheSIM, quando a repetição é reconhecida como um momento que é sempre o mesmo: todos os dias eu chego, todos os dias eu almoço, todos os dias eu escovo os dentes, todos os dias eu volto para casa.

E necessariamente NÃO! Porque sempre “fazemos deNOVO”, isto é, realizamos “o mesmo” de maneiras diferentes, com novas aprendizagens.

Como seres individuais e inventivos, o tempo e o espaço para que o desenvolvimento infantil aconteça devem incluir o respeito às características de cada criança, à sua voz, às suas contribuições e seu espírito criativo. Esse conjunto de momentos do cotidiano, organizados e articulados sem rigidez, forma a Rotina da Educação Infantil – “Rotina” com letra maiúscula mesmo!

Nesse ambiente a criança sente estabilidade, segurança e assim, maior facilidade para desenvolver sua organização espacial, temporal, sensorial e emocional como um todo.

O fundamental é que a criança aprende sempre!

O que quer dizer respeitar as características, as contribuições e o espírito criativo de cada criança?

Criança não é um agrupamento!

brincarCada criança é única e se relaciona com as outras. Essas singularidades reunidas na turma espelham características que surgem da combinação dessas relações. Então, o educador que elabora e conduz atividades de forma flexível e aberta, incluindo as colaborações das crianças, certamente contribuirá para a construção de um grupo estimulado, que se percebe valorizado, e que se sente vinculado à creche e ao professor.

A abertura e flexibilidade do educador se traduz em identificar a necessidade do grupo ou de uma criança específica. O que você pode ler do seu grupo?
É possível estar aberto e sensível para acolher as solicitações das crianças… quer seja contar uma história, … ou propor um desafio, … ou uma brincadeira, … ou uma música, … ou uma massagem? Esta forma de agir respeita o protagonismo das crianças e amplia o seu trabalho.

Segundo a pesquisadora Liselott Mariett Olsson* desde os anos 90 sabe-se que a maioria das crianças prefere ficar num processo de pesquisa e aprendizagem novas em vez de repetir o que já é conhecido. Conclui-se então que a criança aprende melhor a partir do que tem interesse em pesquisar. Por isso, a flexibilidade da rotina e dos planejamentos se justificam.

Então, na prática, o que é um cotidiano organizado e articulado sem rigidez?

Para trabalharmos cada criança devemos imaginar todos os momentos do dia como um grande território de desenvolvimentos e aprendizagens.

Na postagem Verônica fala da Rotina na Educação Infantil, Verônica Souza, Coordenadora Pedagógica da Creche Girassol – SP, conta que sua equipe trabalhou a construção de um novo olhar para a Rotina e que todos os momentos da creche são momentos de atividades, logo de aprendizagem, não só aqueles do planejamento, com um nome e um conteúdo especial.

Vamos exercitar?

feira e sucos A

Um grupo de crianças de 2 anos que mostrou interesse nas frutas porque, uma delas, na Roda de Conversa, contou que foi à feira com sua mãe no final de semana. Paralelamente a professora identificou que algumas crianças estão com dificuldades para segurar lápis, pinceis e outros instrumentos. Os dois fatos podem ter conexões?

Um planejamento articulado dos momentos da Rotina desse grupinho poderia incluir fazer o suco a partir das frutas inteiras, com exploração livre das mesmas. Colocar a bebida em pequenas jarrinhas para que cada criança se sirva, possibilitando trabalhar a motricidade que contribui com o processo de segurar os lápis e pinceis.

Ainda nesse exemplo, no almoço, podem cortar frutas mais macias com faquinhas de plástico e preparar uma salada de frutas para a sobremesa.

Dando continuidade ao planejamento, na atividade de artes, uma boa opção seria trabalhar com tintas feitas com frutas e vegetais.

Você pode imaginar situações como estas no seu dia a dia?

Ao lavar os pinceis e potinhos, com as crianças, pode ser interessante propor atividades para estimular a motricidade no próprio tanque de lavagem.

No pátio, levar areia em pequenos recipientes e sugerir brincadeiras de transferir de um para outro, treinando um pouco mais a coordenação, é também uma possibilidade.

Rotina

Ufa! Um dia inteiro de atividade rotineiras, valiosas para desenvolver aprendizagens prazerosas.
Recheadas de descobertas!
Isso é educação.

Sem esquecer os registros e reflexão sobre os planejamentos. As fotos de atividades como as citadas já dão conta da riqueza do processo. Mas isso é conversa para outro post!

* pesquisadora da Universidade Estocolmo, Suécia.

Leia também Que tal pensar em propostas flexíveis Crianças e professores: vamos construir relações? Registro fotográfico: muito mais que documentar!

Postado em Postura do Professor e tags , , , , . Marcado com permalink.

Comentários para Rotina é recurso de aprendizagem?

  1. Rejane Maria da Silva Oliveira diz:

    Achei bastante interessante esta abordagem da rotina na creche, vista sob um outro aspecto. Concordo Plenamente. A rotina ela precisa existir, mas é importante que possamos constantemente está trazendo ideias novas, pois estas contribui no desenvolvimento das crianças e torna a creche um lugar agradável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *