Emoções: 4 estratégias para lidar com elas

Emoções são parte das relações que envolvem o mundo e, claro, a escola. Mas a volta das férias e o ingresso na creche e na pré-escola são momentos delicados. Por mais experientes que sejamos e por mais que as crianças já conheçam o ambiente, as situações de início do período escolar são carregadas de novos temperos: a composição da turma, o professor, a sala e as transformadoras histórias pessoais que vivemos ao longo das férias. Certamente, em dezembro éramos um pouco diferentes do que somos hoje. Em dezembro, as crianças eram ainda mais jovens e imaturas do que são hoje. Com o tempo e as vivências pessoais, tudo muda e tudo tem que se restabelecer.

Por isso, nos quase cinco anos de Tempo de Creche, temos buscado reunir informações e conteúdos sobre acolhimento e adaptação para ajudar nossos leitores. Conhecer a teoria e estudar o assunto ajuda a buscar estratégias próprias para construir pilares emocionais sólidos para que crianças, professores e famílias atravessem o ano colhendo desafios, aprendizagens e crescimento.

Nesta postagem destacamos quatro estratégias interessantes para trabalhar as emoções das crianças. De repente alguma se encaixa como uma luva com a sua turma e o seu jeito de lidar com o turbilhão de emoções.

1- Borbulhas para encantar e acalmar

Que a água encanta e acalma as crianças, nós já sabemos. Temos uma postagem só sobre água e adaptação (Água para brincar acolher e pesquisar). Mas uma estratégia simples e interessante chegou até nós: assoprar a água do copo com canudinho. Fisiologicamente, o ato inspirar e expirar profundamente e com ritmo, acalma. Já as borbulhas e o barulhinho produzidos no líquido, encantam e desviam a atenção dos sentimentos de ansiedade, saudade e estranhamento. Deixe à mão copos transparentes, água e alguns canudinhos para abrandar as emoções e acolher os pequenos que atravessam momentos de tristeza e tensão. E se a criança puder escolher a cor da água? Mais um motivo para brincar!

2- Emoções trabalhadas por meio das histórias

As crianças pequenas ainda estão construindo um entendimento sobre o que sentem. Muitas só conseguem perceber o desconforto que o medo, a tristeza e a ansiedade provocam, mas têm dificuldade em nomear o que se passa e compreender as razões da intranquilidade. A literatura infantil possui um vasto de repertório de histórias que abordam essas questões e pode ser uma ótima aliada para favorecer conversas sobre as emoções  que envolvem a escola no início do período letivo. Faça uma seleção de enredos que narrem situações de emoção intensa, medo do desconhecido e enfrentamento de dificuldades. Leia as histórias para a turma ou só para aquela criança que está ansiosa e nervosa. Deixe os livros disponíveis num cantinho para que os próprios pequenos possam reviver as histórias sozinhos.

3- Carômetro: carinhas para traduzir as emoções e os estados de espírito

Outra estratégia para auxiliar o professor a conversar e esclarecer as emoções sentidas pelas crianças é o uso de fotografias com expressões emocionadas. Prepare um carômetropara que a criança possa identificar na imagem como ela própria está se sentindo e, assim, poder conversar e buscar estratégias para se acalmar. Acreditamos que fotografias com expressões reais de crianças alegres, tristes, chorosas e com medo funcionam melhor do que os emojis, que podem ser ainda muito simbólicos para os menores. Use imagens grandes e nítidas o suficiente para que seja fácil identificar as emoções e conversar sobre elas.

Preparamos um carômetro que pode ser copiado e imitado!

4- Certificado com adesivos das conquistas

Certificar as conquistas pode ser um ótima estratégia para os maiores. Como já são capazes de compreender tabelas simplificadas, construa um cartaz com os nomes das crianças e deixe espaços para colar adesivos ou figurinhas a cada vez que chegam dispostas, felizes ou param de chorar, demonstrando que conseguem controlar as emoções. Vale qualquer imagem interessante de revista, adesivos, figurinhas de álbum, estrelinhas coloridas e até pedir para fazer um pequeno desenho no quadradinho da tabela.

É bom ressaltar que as emoções intensas não acontecem somente no período de adaptação. Nossas vidas são recheadas delas! Assim, as estratégias sugeridas nesta postagem podem ser utilizadas o ano todo. E, se testá-las, conte para a gente como fez e os resultados que colheu. Compartilhe conosco!

♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦

PARA SABER MAIS…

Leia mais sobre adaptação, brincadeiras com água e emoções nas postagens:

Postado em Planejamentos e Atividades e tags , , , , , , , , . Marcado com permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *