Em que língua falo com minhas crianças?

Balão-Dúvida-pComo contribuir para que as criança se comuniquem?

Às vezes é frustrante notar alguns pequenos com estado de espírito fragilizado e não conseguir “ser um ombro amigo”.  Acolhemos nos braços, tentamos conversar, mas percebemos que a criança tem o que falar e não consegue se expressar. 

Linguagem do corpo

Não é fácil para nós, adultos, traduzir sentimentos e emoções em palavras. Que dirá para as crianças em pleno amadurecimento global.

Nos encontramos, então, numa encruzilhada entre a disposição para ajudar e a dificuldade em dialogar.

Balão-Dúvida-pEssa situação tem solução?
Como resolver a questão?

Vamos para a essência:

  • Criança fala com todo o corpo
  • Criança entende o mundo pela sua experiência com o entorno
  • Criança é movimento, sensação e emoção, tudo junto! Funciona sem separar essas dimensões e dialoga nessa base

Mas … sabemos disso! Os estudiosos apontam para estas capacidades e nossos documentos referenciais apoiam esse conhecimento, dizendo que:

 (…) a criança vai construindo experiências interiores sobre o mundo exterior, elaborando suas próprias vivências em um texto aberto, compartilhando com o expectador suas produções, que são carregadas de sentimentos, emoções, pensamentos, gestos e expressão.*

Ana Angélica Albano conclui que as várias expressões da criança são formas de comunicação que servem para dizer o que as palavras não dizem.*

Balão-Dúvida-pComo estimular, então, aquilo que as palavras não dizem?
Pela expressão artística!

linguagem do faz de contaMúsica, artes visuais, expressões do corpo e dramatização expressam sentimentos e emoções. São narrativas do que sentimos e pensamos … e fundamentalmente pertencem à infância!

Ana Angélica ainda destaca que quando conseguimos perceber a analogia entre falar com as palavras ou com as cores, gestos ou sons, fica mais fácil pensar porque a arte apresenta-se como uma área privilegiada. É nessa esfera que podemos repensar as crenças e origens da pedagogia da infância.

Desse modo entendemos as linguagens da Arte como recursos para viabilizar a expressão da criança e suas emoções.

Os grandes artistas afirmam que precisam retomar o espírito infantil para permitir que sensações e emoções sejam comunicadas por meio de suas obras.

Se privarmos os pequenos da possibilidade de se expressarem por meio do corpo, da dramatização, da música e das artes visuais, diminuímos suas formas de comunicação. Do contrário, ao estimular as expressões artísticas das crianças, contribuímos com o desenvolvimento das capacidades de comunicação. O aprendizado decorrente destas práticas se reflete no amadurecimento da comunicação e expressão oral. As vivências das diferentes linguagens artísticas são um combustível para a criança estabelecer sua relação com o mundo, construindo uma estrutura de comunicação ao longo do seu crescimento. Assim, Arte é currículo da Educação Infantil e deve ser contemplada com atividades todos os dias.

Retomando o documento citado, quanto mais o ambiente artístico e expressivo da criança puder ser expandido e diversificado, favorecendo múltiplas experiências, mais intenso e significativo serão o seu contato e o conhecimento de seu corpo como fonte de expressão de sentimentos e ideias.*

Para que o professor possa se organizar e garantir propostas com todas as linguagens artísticas, uma dica é estabelecer cada dia da semana para contemplar especialmente uma das linguagens, até porque elas se entrecruzam.

Linguagem das artes visuais

Balão-na-PráticaUma sugestão de cronograma pode ser:

  • Corpo e música ficam para a segunda-feira, quando as crianças chegam à creche agitadas do final de semana.
  • Terças-feiras são dias especiais para explorar técnicas mais elaboradas de artes visuais.
  • Nas quartas-feiras  tecidos, vestuário e acessórios podem estimular o faz de conta, a criação de personagens e situações dos jogos dramáticos.
  • A produção de sons com objetos sonoros e instrumentos musicais acontece às quintas-feiras.
  • Nas sextas-feiras o professor pode estimular a linguagem que, segundo sua avaliação, necessita de mais espaço.

Os diferentes ritmos e estilos musicais são interessantes para serem apreciados (e dançados!) diariamente, na chegada à creche. Uma pesquisa de repertório musical culturalmente vasto vai trazer ampliação de saberes e possibilidades para os pequenos. Nós adultos, às vezes, temos preconceitos e resistências com músicas que não costumamos ouvir. Mas isso não acontece com as crianças, que ouvem e se interessam pelo diferente, se sentindo provocados.

Linguagem da música

Da mesma forma com as outras linguagens da arte. Ouse, sinta, experimente – você e  as crianças e perceba os caminhos para novos sons, movimentos, situações dramáticas e imagéticas.  Juntos descobrirão que é possível dialogar em muitas línguas!

* Tempos e espaços para a infância e suas linguagens nos CEIs, creches e EMEIs da cidade de São Paulo / Secretaria Municipal de Educação. – São Paulo : SME / DOT, 2006.
 
barrinha-colorida-300x17

Balão-Para-Saber-MaisLeia mais sobre esse tema nas postagens:

Balão-crédito-imagensCrédito das imagens na ordem em que foram publicadas:

 

Postado em Desenvolvimento Infantil, Postura do Professor e tags , , , , . Marcado com permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *