Palavra de… Beatriz Ferraz: a BNCC e a Educação Infantil

O Blog Tempo de Creche conversou com a psicóloga Beatriz Ferraz sobre a nova Base Nacional Comum Curricular Educação Infantil. Beatriz participou do grupo de especialistas que escreveram textos para apoiar a implementação da primeira versão do documento e foi leitora crítica da 3ª versão.

 

Tempo de Creche O que é a BNCC? Em que ela difere das Diretrizes Nacionais e Referenciais?

captura_de_tela_2017-04-10_as_08.30.11

Beatriz – A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é o documento que estabelece um conjunto de noções, habilidades e atitudes que todas as crianças que frequentam a educação infantil têm o direito de aprender. Esse conjunto de aprendizagens estão redigidos como objetivos de aprendizagem e desenvolvimento e devem ser considerados por todas as escolas do país, sejam elas públicas ou privadas.

O documento da BNCC estabelece um referencial nacional obrigatório que deve ser contemplado no currículo de todas as redes de ensino e instituições escolares, públicas ou privadas.

A partir dessa referência, o exercício das redes e escolas é realizar adequações em suas propostas curriculares e pedagógicas, garantindo que as mesmas estejam considerando as aprendizagens indicadas na BNCC. Nesse aspecto a BNCC se diferencia dos Referenciais Curriculares Nacionais, pois os mesmos não tinham o caráter de obrigatoriedade.

Tempo de Creche – A BNCC dialoga com as Diretrizes?

Beatriz – Especificamente na Educação Infantil, a BNCC considera as Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil como base para as concepções trabalhadas no documento: a concepção de crianças, de Educação Infantil, de aprendizagem e de ensino. A partir de seus princípios e objetivos foram elaborados os seis grandes direitos de aprendizagem que devem ser garantidos a todas as crianças nas turmas de creche ou pré-escolas.

Tempo de CrecheE quanto à organização das aprendizagens em Campos de Experiências?

Beatriz – A proposta de organização curricular por Campos de Experiências também está totalmente alinhada com o que propõe o artigo 9o da DCNEI.

Porém, a proposta da BNCC inova em relação aos Referenciais Curriculares da Educação Infantil, que propunham uma organização em Âmbitos de Experiências e Eixos.

Tempo de CrecheO que você espera que a BNCC faça pela Educação Infantil? Quais mudanças o documento pode trazer com a organização das aprendizagens em campos de experiências?

IMG_6815

Beatriz – Ter uma Base para crianças pequenas é uma iniciativa com um enorme potencial de promover equidade e qualidade para a educação infantil de nosso país. Todas as crianças que frequentam uma instituição de educação infantil, independentemente do estado, município, da região, de sua condição econômica e social, têm explicitado e garantido seus direitos de aprendizagem.

Em relação à qualidade, podemos destacar que a BNCC da Educação infantil traz uma inovação na sua proposta de organização curricular por Campos de Experiências. Esta proposta se diferencia de um currículo pautado no conhecimento e no ensino, e coloca luz nas crianças e em suas experiências e interações ao longo de seu processo de aprendizagem e desenvolvimento.

Outra inovação é a apresentação dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento por faixas etárias (bebês, crianças bem pequenas e crianças pequenas), o que contribui para que as redes de ensino e principalmente os/as professores/as tenham maior clareza e compreensão do processo de desenvolvimento das crianças ao longo da primeira infância. Esta inovação vai possibilitar que o professor se aproprie da forma como a criança aprende, e considerar esse conhecimento para planejar e desenvolver contextos de aprendizagens significativos e de qualidade.

Tempo de Creche –  Como professores, coordenadores e diretores das creches e pré-escolas podem atualizar suas crenças e práticas a partir da BNCC?

Beatriz – Como comentado anteriormente, a inovação trazida pela BNCC da Educação Infantil é uma oportunidade para que reflexões sobre como as crianças aprendem possam ser a base para se pensar a proposta de organização dos ambientes, espaços e materiais e dos contextos de aprendizagem promovidos na instituição. Pensar a educação infantil a partir dos desejos, necessidades e interesses das crianças promove rupturas em relação a crenças e práticas que partem de uma reflexão sobre o conhecimento em si e como ele deve ser ensinado, colocando a criança, seu jeito de ser e a forma como ela aprende em segundo plano.

Tempo de Creche – Na concepção da Base, a criança estaria em primeiro plano?

Beatriz – Sim!
Colocar a criança em primeiro plano, considerando sua forma de ser e aprender sobre as relações e o mundo a sua volta, é uma oportunidade para planejarmos contextos de aprendizagens que consideram o fazer, a ação das crianças sobre as coisas, objetos, pessoas e seres como centrais para seu processo de desenvolvimento e aprendizagem.

Tempo de Creche – A criança deixa de ser vista como passiva?

Beatriz – Sim!
Essa concepção rompe com crenças e práticas que colocam as crianças como passivas, receptoras de informação, sujeitos sem desejos e interesses sociais e culturais, e práticas comuns como atividades mecânicas, cópias sem contextos, ausência de recursos e de interações de qualidade.

Tempo de Creche –  A partir dessa visão de criança e educação infantil, quais “dicas” você pode dar para que as equipes pedagógicas estudem a BNCC neste início de ano? 

Beatriz – É muito importante que os coordenadores possam começar o ano promovendo uma leitura reflexiva da BNCC junto com sua equipe. Pensando em como as concepções e a organização curricular propostas no documento dialoguem com a proposta curricular e pedagógica da instituição.

Uma importante reflexão a ser promovida nesse momento é como os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC podem ser norteadores dos planejamentos diários dos/as professores/as e de suas práticas de acompanhamento e registro das aprendizagens de cada criança e do grupo.

Tempo de Creche – Você tem algo especial a dizer para os coordenadores?

Beatriz – Ao organizar com clareza e transparência o conjunto de aprendizagens a serem garantidas às crianças, a BNCC também oferece aos coordenadores a possibilidade de fazerem o exercício de diagnosticar quais os saberes teóricos e práticos que seu grupo de professores/as precisam aprofundar. Assim, a partir dessa análise, é possível organizar um planejamento dos encontros de formação continuada que serão oferecidos ao longo do ano. A realização desse diagnóstico, se feita junto com os/as professores, com certeza terá muito mais riqueza e já funcionará como um momento de estudo sobre a BNCC!

Para saber mais leia as postagens sobre a BNCC a partir de suas versões anteriores:

_______________

f29d630c-3c24-468d-983f-fc5376d0ec23Beatriz Ferraz,  psicóloga, doutora em Educação pela USP, com especialização em Liderança em Políticas para a Primeira Infância pela Harvard University. É diretora da Escola de Educadores, Consultora de Projetos Educacionais do investimento social do Banco Itaú BBA e do Banco Mundial.

Postado em Campos de Experiências, Desenvolvimento Infantil, Palavra de... especialista, Postura do Professor e tags , . Marcado com permalink.

18 Comentários para Palavra de… Beatriz Ferraz: a BNCC e a Educação Infantil

  1. Lina Rosa de Oliveira de Araujo diz:

    BNCC,mudanças que se fazem necessárias,mas ainda não sabemos como fazer esses registros,no diário de classse e semanários,as pautas tiramos de letra,nem sei como explanar as aulas,parece que é a mesma coisa.Li com carinho tudo o que está escrito,as perguntas e respostas,até que entendi,vou a plicar ,agradecida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *