Campos de experiências todos os dias!


Falamos em planejar, registrar, refletir e replanejar como uma postura contemporânea de educador, que percebe as crianças e acolhe suas propostas. Mas isso é suficiente no contexto de Educação Infantil?
Não existem diretrizes a serem seguidas e conteúdos a serem ensinados?

Balão-Dúvida-p→ O que pensar?
→ Por onde começar?
→ Quem pensa sobre a criança e a infância hoje?

campo do conhecimento espacial e matemáticoPodemos partir de uma discussão baseada na Antropologia da Criança para buscar conclusões. Clarice Cohn (2005) disse que a criança produz cultura, não pelos objetos ou relatos que constrói, mas pela formulação de um sentido que dá ao mundo que a rodeia. Segundo a antropóloga, criança não sabe menos, sabe outra coisa e, assim, nós adultos precisamos entrar neste mundo respeitando a cultura que já existe. Essa postura faz toda a diferença ao pensar em “currículos” e “ensinos”, porque não é possível construir desenvolvimento sobre um território desrespeitado ou até destruído.

Conhecer a cultura da infância das crianças com as quais trabalhamos, é o primeiro ponto de partida para pensar no contexto educativo.

O segundo ponto é refletir sobre a forma como entendemos a infância e o que ela representa para a constituição do futuro adulto.

É a criança um adulto em miniatura?

expressão em artes visuais 2Esse “mini-adulto” está sendo preparado para a escola, onde completará a sua jornada para tornar-se um adulto completo?
Já vimos que a Antropologia da Criança distancia-se desse pensamento porque considera que a criança tem universo próprio.

O terceiro ponto apoia-se nas pesquisas da arquitetura do cérebro. A natureza da infância se reflete na fisiologia do ser humano, que precisa dos alicerces do corpo e das emoções constituídos nessa fase.

Os estudos de ambas as ciências – antropologia e fisiologia do pensamento – falam que crianças aprendem pela experiência, pela pesquisa e interações que realizam ao brincar.

Concluindo… criança tem sua própria cultura, que parte do brincar, criar e se expressar para se desenvolver.
Esse é o nosso guia!
Simples?
Não, complexo! E desafiador!

Fomos treinados para conduzir o ensino e dar aulas. Esse modo de agir pode não adotar uma entrada cortês e respeitosa no contexto da infância. Desse modo, não constrói a maneira mais adequada de contribuir com o melhor desenvolvimento possível dos pequenos.

Balão-Dúvida-pE se pensarmos em OFERECER no lugar de dar?

jogo simbólico e faz de conta 2Quando oferecemos, pensamos no outro: o que estamos OFERTANDO é compatível com quem recebe? E, mais importante, damos a opção do outro querer ou não receber? Estamos fazendo oferendas ou imposições?

Se aquilo que planejamos parte da vontade e do desejo do educador, por mais interessante que seja, então caímos na imposição. Se planejamos pensando nos interesses e pesquisas já demonstrados pelas crianças, então fazemos oferendas (propostas). Se apresentamos atividades e damos oportunidades de outras brincadeiras àqueles que não querem participar, então não estamos impondo.

Mas, afinal, qual a nossa responsabilidade sobre o desenvolvimento dos nossos pequenos?

Nossa responsabilidade com as infâncias é garantir CAMPOS DE EXPERIÊNCIA, para contribuir com a cultura infantil e o desenvolvimento de corpo, emoção e inteligência.

Se a criança EXPERIMENTA brincando e se expressando, é por meio da brincadeira e da expressão que os diversos campos serão desenvolvidos articuladamente. Esses são os pilares do trabalho:

Habilidades do Corpo

  • Explorar o mundo pelo movimento
  • Explorar o próprio corpo pelo movimento
  • Expressar e interagir com os outros pelo movimento

habilidades do corpo

Habilidades Sociais, Autonomia e Identidade

campos das relações

  • Se reconhecer e reconhecer o outro
  • Conviver, brincar e desenvolver projetos em grupo.
  • Cuidar de si, do outro e do ambiente
  • Ter iniciativa e buscar soluções para conflitos

Campo da autonomia

Campo da Oralidade e Letramento

  • Comunicar-se no cotidiano
  • Conversar em grupo
  • Brincar com as palavras (cantigas, parlendas, quadrinhas)
  • Ouvir narrativas literárias
  • Desenvolver comportamento leitor
  • Desenvolver hipóteses para a escrita

expressão oral e letramento

Campo das Expressões

  • Expressar-se e comunicar-se
  • Criar e reconhecer novas linguagens

→Expressão Musical e Dança

  • Reconhecer sons e ritmos
  • Criar e produzir sons
  • Cantar
  • Criar e produzir movimentos
  • Ter oportunidade de conhecer e ampliar repertório musical de gêneros, estilos, épocas e culturas diferentes

expressão musical

→Expressão em Artes Visuais

  • Praticar o desenho, espacialidade e experiência com a cor
  • Despertar para a curiosidade e criatividade visual
  • Experimentar variedade de materiais, riscadores e suportes

expressão em artes visuais

Campo do Jogo Simbólico e Faz de Conta

  • Brincar no dia a dia com autonomia de criação de enredos, cenários e papeis
  • Dispor de espaços e materiais que ampliam o faz de conta
  • Ter oportunidade de brincar espontaneamente e também participar de brincadeiras mediadas pelo professor
  • Brincar sozinha, em grupo, com crianças da mesma faixa etária e crianças de idades diferentes.

jogo simbólico e faz de conta

Conhecimento de Mundo

  • Elaborar ideias a respeito do mundo que a cerca: natureza e cultura
  • Vivenciar a cultura da creche, do entorno e do país
  • Aprender a ler o mundo desenvolvendo a capacidade de observar regularidades e permanências, formular noções de espaço e tempo, perceber transformações, causas e consequências.

conhecimento de mundo

Conhecimento Espacial e Matemático

  • Lidar com situações que estabeleçam conceitos de quantidade, tamanho, intensidade e posição
  • Vivenciar a ocupação de espaços, deslocamentos e construções tridimensionais

campo do conhecimento espacial e matemático 2

Balão-na-PráticaCom esses objetivos em mãos, podemos escutar os pequenos.
Quais interesses estão demonstrando? O que estão pesquisando? … Percebe que se interessaram pela borboleta que sobrevoou o pátio ontem? Então vamos aproveitar!
Durante uma semana podemos desenvolver a expressão nas artes visuais pintando folhas de jornal ou cartolina que se transformarão em asas.
No outro dia, com as asas secas, pode-se prendê-las nas contas dos pequenos, fazer um circuito e voar “pela floresta” trabalhando o corpo.
Em outro momento podemos ler livros e contar histórias de borboletas, desenvolvendo a oralidade e o letramento.
Outra atividade interessante pode ser de colocar asas de diferentes tamanhos em corpos de diferentes borboletas de papel. Não tem certo ou errado, mas tem uma forma de perceber os conceitos de grande e pequeno, maior e menor da matemática.
Podemos ir até um computador e pesquisar no Google muitas fotos de borboletas brasileiras e do mundo. E assim desenvolveremos o conhecimento de mundo.
Canções e movimentos rítmicos despertam para a música e a dança. Acompanhar a canção favorita com chocalhos estimula o ritmo.
Que tal organizar tendas de tecidos e brincar de casa de borboleta? O Jogo simbólico vai ser ampliado no faz de conta. Na brincadeira, também as relações vão ser exercitadas.
Finalmente, podemos trabalhar a autonomia brincando de arrumar os objetos e a mobília depois de brincar.

Ufa! Uma semana de muuuuitas experiências e aprendizados!

barrinha-colorida-300x17

Balão-Para-Saber-MaisClarice Cohn é doutora em antropologia pela USP e professora da Universidade Federal de São Carlos. Pesquisamos seu livro Antropologia da criança. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005

O objetivo Antropologia da Criança é apresentar o campo de pesquisas que se abre quando a antropologia foca as crianças como objeto e/ou interlocutoras

Falamos sobre Campos de Experiência na postagem O que planejar… alguma sugestão?

Balão-crédito-imagensOs créditos das fotos utilizadas nessa postagem estão nas próprias fotos.

As fotos da CEI Nossa Turma foram obtidas durante o projeto de formação realizado pela equipe do Tempo de Creche, de 2014 a 2015.

As fotos das CEIs Girassol e Primavera foram obtidas no Projeto Formação de Educadores com Arte, da Associação Arte Despertar e incentivado pelo IMPAES (Instituto Minide Ppedroso de Arte e Educação Social), em 2011 e 2012.

♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦


audimaGostou de ouvir o conteúdo?
A startup AUDIMA deu voz a esse post, trazendo a novidade do Vale do Silício, Califórnia.
Se você é criador de conteúdo e também quer converter seus textos, clique aqui (www.audima.co/queroaudio)  e ganhe um áudio de até 800 palavras para experimentar!

Postado em Campos de Experiências, Postura do Professor e tags , , , , . Marcado com permalink.

21 Comentários para Campos de experiências todos os dias!

  1. Marizete Fortes diz:

    Olá Boa tarde preciso de um plano de aula para criança de creche tem como dar uma ajuda obrigado.

    • Olá, Marizete. Não temos muitas informações de seu trabalho… Como a creche estabelece esse processo? Como sugestão para pensar, dê uma olhada na postagem: O que planejar… alguma sugestão? Abraço.

  2. Roseli Helena Adriano Gonçalves diz:

    Estou começando a usar os métodos de vcs, mas tenho mtas dúvidas! Gostaria de receber orientações p melhor atender minhas crianças!

  3. Jacqueline diz:

    Obrigada por compartilhar sobre esse tema esclareceu algumas dúvidas. Jacqueline

  4. Jacqueline diz:

    Satisfeita com o que vocês têm postado. Obrigada têm contribuído para esclarecer minhas dúvidas.

  5. Maria Angélica Iwasaki diz:

    Vocês me ajudam muito com os seus conteúdos….São conteúdos de bom uso para nos professores…Muito obrigada por compartilhar seus ensinamentos….

  6. Tamiris diz:

    Amei o conteúdo, está me ajudando em um trabalho da faculdade sobre conhecimento de mundo !
    Pode me sugerir uma atividade lúdica para ser feita em sala, com pouco tempo para educação infantil ? Sobre conhecimento de mundo!
    obrigada

    • OLÁ Tamires.
      Conhecimento de mundo (da natureza, das transformações, dos lugares, da cultura, entre outros) é talvez o campo de experiências mais conectado com os interesses das crianças. Guiado pelos conteúdos que mais encantam os pequenos, é que o professor procura referências para ampliar os conhecimentos das crianças. Assim, tudo depende do que o professor observa na turma e identifica como possibilidade de trabalho ou projeto. Não deveriam existir “propostas prontas nesse campo” porque, justamente, crianças aprendem a partir daquilo que acham interessante. Para fazer o seu trabalho você pode partir de uma premissa ou uma simulação. Por exemplo, “percebi que um grupo de crianças descobriu a própria sombra quando saímos ao sol. A partir dessa curiosidade proponho algumas atividades para pesquisar e ampliar os conhecimentos sobre sombra, luz e ausência de luz”. E aí é só você usar a imaginação para elaborar a proposta. Ah, outra questão é o tempo! Pouco tempo ou muito tempo também é uma questão individual. Não vale a pena propor uma pesquisa encantadora para os pequenos com um tempo curtinho. Já pensou a frustração de estar mergulhado num universo de descobertas e ter que encerrar rapidinho? Bjs

      • Berna diz:

        boa tarde preciso que vcs mim ajudem, com um trabalho da faculdade. (Tema) campo de experiência : Eu no mundo social e natural,natureza e sociedade . Gente eu preciso explicar o objetivo e apresentar uma atividade lúdica. Desde já agradeço

        • Berna,
          Obrigada pelas palavras gentis!
          Quanto à Natureza, na barra lateral do Blog clique na imagem de uma lupa “LISTA DE POSTAGENS POR TEMA”. Você será direcionada para uma página com uma grande lista de postagens divididas por temas, tem um dedicado à NATUREZA. Vá clicando nas postagens da lista que você encontrará as experiências que as crianças tem nos espaços de natureza, recursos e possibilidades a serem trabalhada pelo professor.
          Abraços!

  7. Tamiris diz:

    Muito bom ! Ajudou em um trabalho da faculdade !
    Sabe me sugerir uma atividade lúdica, brincadeira para desenvolver com as crianças da educação infantil sobre conhecimento de mundo ?

  8. andrea marrubio diz:

    Olá pessoal!!
    Que maravilha poder compartilhar com vocês estes materiais.
    Adoro.

  9. Adriana diz:

    Bom dia! Vocês são espetaculares. Amo tudo que vocês publicam. Gostaria de saber se vocês tem planejamento anual para os alunos de 02 anos. Se puder disponibilizar, ficaria muito grata.

    • Olá Adriana!
      Obrigada pelas palavras gentis.
      No nosso entender um “planejamento anual” para crianças de 2 anos deve incluir os conteúdos que o professor deve desenvolver com elas. Esses conteúdos são os campos de experiências com expectativas de aprendizagens adequadas à faixa etária.Outro aspecto que pode integrar essa pré-visão de planos são as datas de celebração da comunidade: dia da família, festa junina e outras manifestações típicas da cultura do entorno. Além dessas questões caímos na singularidade dos grupos. E isso só pode acontecer com a escuta atenta do professor que identifica os interesses dos pequenos e trabalha para desafiar e ampliar. O que você tem escutado das suas crianças?
      Algumas postagens podem ajudá-la nesse trabalho:
      – O que planejar… alguma sugestão?
      – O que a criança faz a cada etapa do desenvolvimento
      – Planejar é preciso, como chegar ao planejamento que atenda os desejos das crianças?
      – Planejamento Registro e reflexão organizados em duas práticas tabelas!
      – Um roteiro para sonhae e planejar
      Espero que tenhamos ajudado!
      Abraços

  10. Lourdes diz:

    Descobri “Tempo de Creche ” amei! Rico em sugestões! Obrigada pelo compartilhamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *