Planejamento, Registro e Reflexão organizados em duas práticas tabelas!

 

IMAGEM REGISTRAR REFLETIR PLANEJAR

Balão Dúvida pComo pensar do planejamento sem ter que “tirar um coelho da cartola
Como registrar o que se vive durante as propostas?
Como pensar sobre o que ocorreu para encaminhar novos planejamentos?
O que não pode ser esquecido nesse percurso?
Como simplificar estas importantes tarefas da prática pedagógica?

Tempo de Creche organizou os conteúdos que têm sido apresentados e discutidos em diversos posts em práticas tabelas. Que tal experimentar essa organização e até modificá-la para ficarem com seu jeito?

Para começar…

Pensar no cabeçalho. É preciso formalismo e disciplina para organizar e sistematizar as informações. Acreditamos que a memória dá conta de tudo, “que nunca esqueceremos aquele fato” e “que podemos explicar melhor quando alguém tiver dúvida”!  Mas não é assim. Porque vamos acumulando um grande número de “fatos inesquecíveis” e nem sempre estaremos próximos de quem pode ler e se alimentar dos nossos registros. Assim, é importante destacar e registrar as informações básicas do planejamento e do registro: professor, turma, data, nome da atividade e projeto (se for o caso). 

Em seguida, detalhar o espaço, os materiais e a organização dos mesmos. Já abordamos em diversas postagens a importância do Espaço Propositor para as experiências das crianças, portanto, detalhar o planejamento da arrumação do espaço é fundamental para orientar o professor no momento de colocar em prática a proposta. Também é importante registrar como o espaço organizado influenciou o desenvolvimento da atividade para ter novas ideias.

Esse bloco de informações se encerra com o fator tempo. No planejamento, o tempo é uma hipótese a ser calculada:
Qual o melhor momento do dia para propor a atividade?
Quando as crianças estão no clima da proposta pensada pelo professor?

De acordo com a experiência do professor, quando ela deve ser implementada de modo a garantir que as crianças tenham tempo suficiente para brincar, pensar, experimentar e finalizar as pesquisas?

Já no registro, o tempo entra como fator a ser avaliado. O momento da atividade foi bem escolhido? Foi propício para as crianças “entrarem no clima”? A duração da proposta ocorreu como o previsto? As crianças queriam continuar na atividade mas a rotina do dia impediu as experiências? Ou as brincadeiras se encerraram antes da previsão do professor e essa questão precisa ser repensada?

No planejamento…

É a vez dos objetivos. O que o professor espera que as crianças façam? Pensar em verbos é o modo mais fácil de entender o que são os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento elencos na Base Nacional Comum Curricular:

Expressar; correr; pular; narrar; experimentar (materiais); classificar; riscar; desenhar; pintar; marcar; cantar; produzir sons; identificar; observar; pesquisar (de mil maneiras!); coordenar movimentos; se relacionar; compartilhar; identificar (mil objetos, conceitos e situações!)… e assim por diante! Uma infinidade de ações possíveis a partir das quais as crianças podem pesquisar, interagir, brincar, descobrir e aprender.

Mas… por que o professor pensou em trabalhar esses objetivos? O que o levou a esta direção? Transitar nesta seara é deixar de propor atividades porque “a atividade é legal” ou porque “as crianças vão gostar” ou ainda “porque vi na internet/na sala ao lado e a turma adorou”. As propostas do professor devem estar relacionadas a outras questões como:

Vou aprofundar uma pesquisa que já começou;
Surgiu um desejo entre as crianças;
Os pequenos ficaram interessados em descobrir;
Percebi uma necessidade específica (desenvolver uma habilidade, trabalhar as relações e emoções, abordar a diversidade etc…);
Trabalhar um aspecto da cultura da escola/comunidade.

São diversas justificativas possíveis que não deixam de justificar trilhas de aprendizagem.

A partir dessa reflexão, os objetivos conduzem o professor a planejar a postura mediadora a ser colocada em prática durante a proposta. Não basta apresentar materiais e espaços incríveis para garantir aprendizagens complexas e profundas! O professor tem conhecimento-preparo para olhar-escutar e perceber-intervir para ampliar-aprofundar as pesquisas das crianças e, consequentemente suas aprendizagens. As estratégias de intervenção (também já falamos sobre isso em outras postagens) são imprescindíveis para que as crianças sejam desafiadas a resolver problemas e querer conhecer e saber mais. É pensar em estratégias para instigar e colocar sugestões sutis, propostas de desafios e ampliação de repertório.

Captura de Tela 2015-04-23 às 19.42.00

barrinha colorida fininha

Captura de Tela 2015-04-23 às 19.36.32

Teste e conte para a gente como foi a experiência!

Balão Para Saber MaisPara aprofundar este conteúdo acesse:

Um roteiro para começar Registro e Planejamento – parte 1
Um roteiro para começar Registro e Planejamento – parte 2
O que a criança faz a cada etapa do desenvolvimento
Por quê fazer registro?
Repetir propostas para crianças. Será?
Planejamento da Educação Infantil: 10 reflexões para a creche
Postado em Postura do Professor e tags , , , . Marcado com permalink.

5 Comentários para Planejamento, Registro e Reflexão organizados em duas práticas tabelas!

  1. Elizabeth Pinheiro diz:

    Boa noite! Adorei o blog excelente para o meu aprendizado.
    Gostaria de mais informações , pois agora que estou me situando com a nova proposta , sou professora de creche estava sem saber como utilizar os campos de experiências. agora sim deu uma luz.
    Beijos.

  2. Queli Cristina Pinheiro diz:

    Parabéns pelo blog, realmente muito inspirador. Obrigada por compartilhar conosco tanto conhecimento.

  3. Angelina Araujo diz:

    Muito inspirador o material postado. Gostaria de receber material de vocês.

    • Olá, Angelina. Obrigada pelo retorno. Para receber as notícias no seu e-mail é só escrever seu endereço eletrônico no espaço indicado por: – Assine o blog por e-mail – que se encontra no lateral direita na página do blog. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *